Os próximos passos da nova promessa do futebol feminino

Atacante de apenas 16 anos brilhou pela Seleção Brasileira na conquista do Sul-Americano Sub-17

O futebol brasileiro não para de revelar grandes talentos. Porém, não é só o time masculino que tem a oportunidade de ver o surgimento de novas estrelas. No Paraná, uma atacante de apenas 16 anos brilha com gols, velocidade e qualidade técnica.

Mesmo com a pouca idade, ela assinou contrato com a Nike e tem uma multa milionária para sair do Toledo Esporte Clube, clube que defende atualmente. Os valores assustam, mas o seu potencial é ainda maior.

Quem é Ingrid Jhonson, estrela em ascensão na Seleção Brasileira

Ingrid Aparecida Borges de Morais, mais conhecida como Jhonson, é a nova estrela do futebol feminino do Brasil. Com apenas 16 anos, ela se destaca pela sua grande qualidade em campo, que a levou para a Seleção e também gerou um contrato com uma marca esportiva.

Seu início foi no futsal, mas ela começou a ganhar os holofotes aos 14 anos, quando saiu de Londrina para defender o Ouro Verde no futebol de campo. O técnico Jaime Lira, do projeto Toledo/Ouro Verde, foi um dos responsáveis por descobrir o seu talento.

O Brasileirão Sub-18 de 2020, que foi disputado no início de 2021 pela pandemia, foi o momento em que Jhonson apareceu para a Seleção Brasileira. Mesmo com a pouca idade, ela brilhou e despertou o interesse de Simone Jatobá, técnica do time canarinho sub-17. Desde então, foram sete convocações.

Atacante brilhou na conquista do Sul-Americano Sub-17

Porém, o torneio que apresentou Jhonson para o futebol mundial foi o Sul-Americano Sub-17 de 2022. Com a camisa 9 da Seleção, ele não deu chance para as adversárias. Ao todo, foram nove gols na competição, que renderam o prêmio de artilheira.

Na primeira fase, marcou contra todas as adversárias. O Brasil foi soberano até vencer a Colômbia por 1 a 0 na final e ficar com o título. O resultado carimbou a vaga para o Mundial, que será disputado ainda neste ano.

Multa milionária para segurar a jogadora

Além das atuações incríveis com a camisa da Seleção Brasileira, outro fato chamou a atenção para Jhonson: a multa milionária do seu contrato com o Toledo. Quando completou 16 anos, em outubro de 2021, ela pode assinar o seu primeiro vínculo profissional.

Além de passar a ganhar um salário fixo por mês, os valores para tirá-la do clube também ficaram definidos: US$1 milhão para clubes brasileiros e US$ 10 milhões para clubes internacionais, o que passa dos R$45 milhões na cotação atual.

Transferência recorde na modalidade foi abaixo de R$2 milhões

Só para ter uma ideia, o recorde de transferência no futebol feminino mundial foi a ida de Pernille Harder do Wolfsburg para o Chelsea, da Inglaterra. O valor da transação ficou entre 250 e 300 mil libras, o que corresponde a R$ 1,7 milhão.

Ou seja, valores tão altos não são comuns na modalidade, ao contrário do que acontece no masculino. O garoto Endrick, que faz sucesso no Palmeiras, deve assinar o primeiro contrato profissional com multa acima de R$ 300 milhões, o que retrata esse grande desequilíbrio.

Europa é destino provável em 2023

Apesar dos altos valores, Jhonson não deve permanecer por muito tempo jogando no Brasil. Equipes da Europa já estão de olho no seu potencial e uma transferência pode acontecer a partir de outubro de 2023, quando completa 18 anos.

A atacante do Toledo deve representar o Brasil no Mundial da categoria, marcado para o segundo semestre. Assim, boas atuações na Índia serão suficientes para confirmar o seu potencial e carimbar o próximo passo na sua carreira.

Próximas competições para acompanhar Ingrid Jhonson

Ao menos por enquanto, Jhonson segue como jogadora do Toledo/Ouro Verde. Com 16 anos, ela defende a equipe profissional e vai disputar o Campeonato Paranaense Adulto, que está marcado para junho.

Ela também segue nas categorias de base para disputar a competição Sub-17 e está no Brasileirão A3 da modalidade. Porém, como é uma figurinha carimbada nas convocações da Seleção, deve perder muitos jogos para vestir a Amarelinha.

Por sinal, o grande compromisso de Ingrid Jhonson será em outubro, quando começar o Mundial Sub-17 Feminino, na Índia. Após brilhar no Sul-Americano, ela deve estar entre as convocadas e pode brilhar novamente pela Seleção.

Artigos Relacionados